sábado, setembro 16, 2006

Um distante amor

Um distante amor


Distante de minha terra,
te conheci.
Timidamente...
aproximei, conversei, sorri...
Loucamente já te queria prá mim.
A vontade de tê-la em meus braços, cresceu...
Sentir seu cheiro, tocar seu corpo
e seus cabelos...
Depois da música... da dança...,
extremeci... me perdi...
De repente... não estavas mais alí.
O tempo passou,
a saudade apertou, a vontade aumentou...
Depois daquela noite... tudo mudou.
Mudaram-se os sonhos,
os desejos, os valores... a vida.
Hoje, vivo e revivo
as lembranças e recordações.
Sua voz, seu sorriso, seu jeito,
seu cheiro, seu beijo..
Ah!!! quanta falta sinto...
Distante está e ,
onde se encontra também tem os seus amores...
Verdadeira razão do seu viver...
Daqui dessa distância,
aguardarei o dia em que novamente a verei...
Para timidamente... aproximar,
conversar, sorrir...
E nesse momento não mais sofrer
com essa vontade louca
de te ver e tocar todo o seu ser...

Sinval

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ANTES DE SAIR DEIXE SEU COMENTÁRIO