sexta-feira, janeiro 23, 2009

Retalhos


Pedaços de vida. Fragmentos de história. Não quero mais nada pela metade. Não quero resto. Não quero sobras. Quero completude em cada atitude. Quero intensidade em cada atividade. Quero o máximo disponível. Quero o limite traçado. Quero desbravar, encontrar o tesouro perdido. Quero ferver, ebulição, e congelar, solidificação.

Quero o alto, o pico da montanha. Quero do frio, o frescor, e do verão, o calor. Do outono, quero folhas no caminho, feito tapete em movimento, voador. Quero alegria ao nascer de cada broto, quero sentir o gosto de cada fruta e a brisa leve do vento. Da primavera, eu quero rosas, vermelhas, pra combinar com meu desejo insaciável. Quero o pólen espalhado por abelhas, quero o mel derramado nos teus lábios.

Quero amplitude de pensamento, visão além do alcance, tato além do toque. Quero o ímpeto e a coragem, ousadia pra provar capacidade. Quero imaginação, criatividade e inovação. Quero vida nova e rumo certo. Quero certeza no futuro e firmeza nas palavras. Quero um destino concreto. Fazer voar o pensamento através da voz sussurrada. Fazer flutuar o corpo através da libido provocada.

Quero sair desse se, e fazer acontecer. Não posso esperar que o acaso me aponte o caminho e me domine o trajeto, vou trilhando, vou vivendo, pego atalho se preciso chegar mais rápido. Retorno se preciso voltar atrás e refazer as pisadas. Quero dizer o que penso sem censura e fazer o que quero sem patrulha. Quero guardar bem escondido um pouco dessa insensatez comigo, vou precisar quando a razão agir sem me consultar.

Quero ataque sem defesas e estratégias pra vencer a guerra. Lutar sem cansar as pernas, adestrar as mãos pra peleja. Quero força e domínio próprio, quero freio na língua e ao tomar decisões, frieza. Quero acertar o alvo e transpor barreira. Quero vencer acima de tudo o medo de mim mesma.

Passear no campo e subir a colina, pendurar em árvores e deitar na grama. Fechar os olhos pra tudo o que está ao redor, e abrir a mente, deixar fluir canções e rimas. Quero o que está em cima, quero o inatingível, o intocável. Quero viver o impossível e provar o inesperado. Quero o imprevisível, a surpresa, ansiedade do que está por vir. Quero ser mestre na arte de escrever e aprender a falar na hora certa, sem machucar ou coibir.

Quero destreza nas ações e convicção no dizer. Quero fazer valer a dor que a minha mãe sentiu quando me pariu, fazer valer o choro que soltei no primeiro fôlego de vida. Quero chorar mais vezes e jogar fora todo lixo acumulado, todo retalho do passado. Quero aprender com as crianças e ter um coração sábio. Instruir ao caminho, à verdade e à vida. Quero o discernimento espiritual e carnal. Quero alto astral, boas e belas companhias. Quero distância de gente feia por dentro. Quero enxergar o motivo, a intenção e o intento. Não quero ser amiga de momento, quero o talento de amar e o dom de existir. Quero um só amor pra toda a vida, quero eternidade e constância no sentir. Quero você pra sempre em mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ANTES DE SAIR DEIXE SEU COMENTÁRIO