domingo, fevereiro 22, 2009

O endereço do coração

Se essa rua, se essa rua, fosse minha.
Quem dera eu ser dono de rua.
Rua leva nome de gente importante.
Pra ficar na memória da nossa gente com coração tão intinerante.
Se essa rua, se essa rua, fosse minha.
Rua grande se chama avenida.
E nelas vão passando, vão passando, nossas vidas.
Endereço antigo foi palco do que hoje tenho saudade.



Manhê, deixa eu brinca na rua? Segurar o menino é maldade.
Se essa rua, se essa rua, fosse minha.
Na rua de casa aprendi muita coisa.
Até coisa errada.
A vida ensina torto pra gente indireitar.



A bola caiu no quintal do sr. Manuel
Ele não vai deixar pegar.
Se essa rua, se essa rua, fosse minha.
Em casa aprendi ser homem, na rua eu coloco em pratica, aprender sem fazer não tem graça.





Não sou mais um menino.
A paisagem da rua também mudou; é tanta modernidade, onde a gente jogava bola, o shopping interditou.
Se essa rua, se essa rua, fosse minha.
Dentro do meu peito tem varias ruas; é muita gente pra morar.
Uns fazem praça, outros quebram o chão: não tem problema aprendi a consertar.




Minha rua ou meu coração: Já não sei quem é quem: pra chegar lá tem que saber endereço: tem gente que eu não dei e soube chegar.
Será que vai mais gente pra lá?
Se essa rua, se essa rua, fosse minha.

Não sou dono de nada; Nem quero ser.
Pago aluguel pra morar no próprio peito, pois a Deus tudo entreguei.
O negocio valeu a pena, Ele arranjou uma moça bonita pra morar na frente de casa.
Um dia eu me caso com ela, e vou ver nossos filhos brincando na praça.
Ah, essa rua …

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ANTES DE SAIR DEIXE SEU COMENTÁRIO