domingo, fevereiro 22, 2009

Saber falar e saber ouvir




Gostaria de começar este texto dividindo com você um sábio poema de um autor desconhecido, que foi retirado do livro “Falo ou não falo – expressando sentimentos e comunicando idéias”.

Poema sobre o escutar

Quando lhe peço que me ouça
E você começa a dar conselhos
Você não faz o que eu pedi.

Quando lhe peço para que me ouça
E você começa e me dizer
Que eu não deveria me sentir deste jeito,
Você está passando por cima dos meus sentimentos.

Quando lhe peço que me ouça
E você sente que deve fazer alguma coisa
Para resolver os meus problemas
Você está falhando comigo.

Talvez seja por isso que a prece
Funciona para algumas pessoas.
Quando rezamos, não obtemos conselhos
Somos escutados.

Então, por favor, me ouça!
E se você quiser falar, espere alguns minutos até a sua vez
Que eu prometo escutá-lo.

Saber ouvir é um grande desafio. Maior ainda é conter a ansiedade quando queremos falar e não ouvir. Quantas vezes não esperamos nosso parceiro (a) terminar de falar e atropelamos, tentando colocar o nosso ponto de vista. Quantas vezes não cortamos a fala de um amigo querido, colocando um comentário a respeito de nós mesmos?

Saber ouvir é buscar compreender o que se passa com o outro, é muito mais do que escutar e darmos a nossa interpretação. Saber ouvir é cultivar a difícil arte da empatia, que é a habilidade de se colocar no lugar do outro e prestar muita atenção no significado de suas palavras, na maneira como ele transmite, em seu estado emocional, seus limites e conhecimentos; é olhar para os seus olhos, é perguntar se houve dúvida, é evitar interpretar, é buscar não atropelar.

Temos sido deficientes auditivos quando se trata em escutar verdadeiramente aquilo que precisamos ouvir. Trata-se de uma tarefa realmente difícil, pois envolve humildade em reconhecer nossas próprias falhas, em estar aberto para aprender quando no fundo queremos ensinar. Exercitando o ouvir e o falar aprendemos a compreender o outro e assim sermos mais bem compreendidos.

Karen Camargo é psicóloga formada pela PUC – SP. Especialização e aprimoramento em Terapia Comportamental Cognitiva. Aprimoramento em Terapia de Casal e Família. Atende em consultório particular, no bairro do Brooklin, em São Paulo. www.karencamargo.psc.br
Referências Bibliográficas:

Conte, F. C. S e Brandão, M. Z. S. (2007). Falo ou não Falo? Expressando sentimentos e comunicando idéias. Londrina: Mecenas.

20/10/2008 Psicologia
Karen Camargo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ANTES DE SAIR DEIXE SEU COMENTÁRIO