domingo, fevereiro 22, 2009

Verbo Amar




Me indagas sempre se eu te amo.
Se é mesmo teu este amor que proclamo
Nos versos tristes que te entrego...
Duvidas que eu te ame? Pergunta às manhãs ensolaradas,
Ainda carregadas de esperanças orvalhadas...
Por certo hão de segredar-te o que eu não nego.

Queres saber se eu te amo?
Escuta o trinar do sabiá no verde ramo,
sonda as estrelas, confidentes do luar...
Duvidas que eu te ame? Pergunta ao sol em sua lânguida agonia,
e a correnteza em sua eterna sinfonia...
Por certo saberão te confirmar.

Me perguntas se este amor é de um momento?
Já percebeste, acaso, o murmurar do vento?
Repara, como em canto, põe as flores a bailar...
Quanto eu te amo? Pergunta aos querubins da imensidão.
-Pra escrever com precisão – certamente te dirão,
que é pequeno o verbo AMAR...

Nelson de Medeiros Teixeira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ANTES DE SAIR DEIXE SEU COMENTÁRIO