terça-feira, dezembro 09, 2008

Você se ama?


Vida Cristã

Ei, você! “Assente-se” aqui do meu lado porque quero lhe falar diretamente. Você que vira e mexe implica consigo mesmo(a). Confuso? Vou explicar. Estou falando com você que não se aceita como é, e vive a reclamar: “Como eu gostaria de ser mais alta!” Por que meu cabelo não é liso?” “Puxa, eu queria ser um pouquinho mais magro! A minha pele é lotada de espinhas, como sou feio(a)!” “Gostaria de ser que nem fulano!”

Sabemos que a maioria das pessoas nunca está satisfeita com sua aparência. Sempre querem mudar alguma coisa. Reclamam do cabelo, do corpo, da pele, do nariz, das pernas, dos olhos... Uns querem ser mais magros, outros mais gordos, uns altos, outros baixos. E ainda têm aqueles mais radicais que, definitivamente, se “detestam”, se acham feios e sem graça. Será que você tem pensado assim?

Talvez não tenha se dado conta, mas já faz um bom tempo que você tem fugido do espelho que, por sua vez, passou a ser um objeto pelo qual você quer distância. O simples fato de se olhar no espelho passa a ser uma tortura, você evita quase o tempo todo que a sua imagem seja refletida através dele. Por que? E mesmo que todos digam o contrário, insiste em não se aceitar. Existem pessoas que, devido a tantos complexos, recorrem a métodos diversos para tentarem uma mudança radical na sua aparência. Só que muitas vezes, sem sucesso, acabam deformando completamente o corpo que tinham, ficando irreconhecíveis, perdendo a identidade.

Diga a verdade: Você se ama ou é daqueles(as) que nunca está satisfeito(a) consigo mesmo(a)? Você é daquele tipo de pessoa que sempre valoriza a beleza dos outros e nunca a sua, enxergando falhas até onde não tem?

Quero lhe deixar algo. Você precisa aprender a se valorizar, a se amar. Se não fizer isso quem o fará por você? Quem sabe você ainda não tenha percebido o quanto isso tem lhe deixado amargurado(a), com complexo de inferioridade e até mesmo em constantes conflitos e frustrações. Talvez também não tenha percebido, mas você tem vivido dentro de um casulo, enclausurado, tendo vergonha do que é. Evita, por exemplo, ir a uma festa porque sempre pensa no pior: “Não vou à festa, pois não tenho roupa, meu cabelo é horroroso, minha vida é uma ‘droga’ (me desculpe a expressão). E com certeza ninguém vai olhar pra mim. Terão outras pessoas melhores do que eu.” Sabia que com essa atitude você tem deixado de viver, de ser feliz, passando a ser um ‘escravo(a)’ do seu próprio descontentamento?

Dê um voto de confiança para você mesmo(a). Já parou para agradecer a Deus pela sua vida? Pelo seu corpo? Já disse uma palavra positiva a respeito de sua aparência? Pare de se autodestruir. Quanto mais você ficar reclamado ou murmurando a respeito do seu corpo ou de qualquer coisa que se relacione com o seu físico, mais complexado você será.

Quero deixar para você duas coisas. A primeira, é que você nunca deve se esquecer de que merece ser feliz. Viver menosprezando a si próprio não é vida, é martírio. A segunda coisa, é que gostaria de deixar para você a parte ‘a’ do versículo bíblico de Provérbios, capítulo 23, verso 7a, que diz: “Porque, como ele pensa consigo mesmo, assim é...” Contextualizando as palavras do sábio Salomão, assim como você pensa, assim você é. Então, vamos combinar algo? Que a partir de hoje o amor de Cristo venha inundar o seu ser. Que a partir de hoje você passe a se enxergar de outra forma. Porém, é preciso força de vontade, pois só você pode fazer isso, mais ninguém. Comece, então, pelo espelho. Que tal se olhar nele hoje e ver quanta beleza há em você?
http://www.lrchurch.co.uk/texto_voce.html
Fonte: Lagoinha.com - Ana Paula Costa

Um comentário:

  1. Graça e Paz!
    Vc pode me informar como conseguir o livro: Ajudando os clientes a perdoar?
    weslenegv@hotmail.com

    ResponderExcluir

ANTES DE SAIR DEIXE SEU COMENTÁRIO