quinta-feira, abril 09, 2009

Já não sei quem sou...


Tudo está longe de ser o que já fui
De sentir o que já senti
De acreditar em tudo o que já acreditei
Tudo poderia ser os restos de sentimentos
Ou a minha maneira subtil de me amar
Ou simplesmente a incompreensão dos meus actos
Conta-me a história que eu não conheço
Conta-me tudo o que eu não ouvi
Fala-me de tudo
Menos dos dias negros que vivemos, aqueles medos que tu sentistes, aqueles passos que não dei
Mas conta-me por onde andaste
O que descobriste
O que procuraste
Conta-me tudo... Mas tudo o que encontraste.
Dizem que viste monstros
É verdade?
Conta-me tudo como sendo eu um deles
Revela-me o que neles me viste
Diz-me tudo
Apaga o teu sofrimento das memórias
Diz-me tudo como se tivesse sido eu o culpado
Sintetiza os meus pecados e diz-me o mal que te fiz
Anda mata-me
Explora em ti a raiva sobre mim
Mata o monstro por quem me tomaste
Mata-me para que possa deixar de sentir a dor que sinto…
AD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ANTES DE SAIR DEIXE SEU COMENTÁRIO