terça-feira, dezembro 16, 2008

OS CACOS DE MINHA VIDA


Um turista que passeava por um povoado europeu parou para observar
um artesão especialista em ornamentar porcelana com fios de ouro.

Ele observou o artesão pegar um de seus trabalhos mais belos,
um vaso delicado, e examiná-lo atentamente.

Depois de alguns minutos, um leve sorriso de satisfação brotou nos lábios do artista.

A peça de artesanato era perfeita.
O tamanho e a forma tinham dimensões exatas;
a obra de arte era bem elaborada e delicada.

De repente, para o grande susto do turista, o artesão pegou um martelo
e esmigalhou a peça.

- Por quê?
- gritou o homem, aturdido, quando finamente consegui recuperar o fôlego,
- Por que voce fez isso?

O artesão olhou para o turista e explicou.
- Veja, meu amigo. o valor desse vaso não está em sua perfeição.
Não está na obra de arte, nem em seu tamanho ou seu formato, por mais belo que ele possa ser.
Não, o valor está no fato de que agora
eu vou juntar estes cacos novamente.
Como ouro!

O mesmo acontece com a nossa vida.

O valor de nossa vida não está na perfeição que vemos ou nela...
não está naquilo que fizemos ou deixamos de fazer...
não está em nosso trabalho, por mais árduo que tenha sido...
não está em nossos esforços,por mais sinceros que tenham sido...
não está na esperança de que receberemos uma segunda chance para nos redimir.

Não!
O valor de nossa vida está no fato de que Deus não desperdiça nada.

Ele pega todos os cacos de nossa vida, até mesmo os mais miúdos e imperfeitos,
e os junta novamente com seu sangue,
que é infinitamente mais precioso que o ouro.
*desconheço autor*

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ANTES DE SAIR DEIXE SEU COMENTÁRIO