domingo, fevereiro 22, 2009

SOBRE O AMOR


Lendo uma série de pensamentos sobre o amor, lembrei de trazer algumas reflexões sobre a vigência e o azedume desse sentimento. Seu auge e sua fermentação. Vendo o que pessoas sábias observaram ao longo dos séculos, talvez melhor possamos avaliar com largueza. Começo por esse pensamento agudo, profundo e insofismável do filósofo nórdico Sören Kierkgaard:

"Frustrar alguém no amor é a mais terrível decepção; é perda para a qual não há compensação na vida ou na eternidade."

Leiam agora essas outras. Coloco o nome do autor ao final: "No homem, o amor é uma coisa à parte. Na mulher, toda a existência." (Lord Byron)

"O céu não conhece fúria igual ao amor transformado em ódio." (Congreve)

"A humanidade ama aquele que ama." (Emerson)

"Sempre retribuímos nosso primeiro amor." (Etienne)

"O homem ama pouco e muitas vezes; a mulher, muito e poucas vezes." (Loraine Johnson)

"Todo homem é poeta quando ama." (Platão)

"O amor é um conflito entre reflexos e reflexões." (Magnus Hirschfeld)

Para concluir, uma historiazinha árabe, talvez elucidativa:

Você é feliz?
-Tenho saúde

Você é rico?
-Não tenho dívidas

Tem problemas?
-Tenho filhos

Tem inimigos?
-Tenho família...

Artur da Távola

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ANTES DE SAIR DEIXE SEU COMENTÁRIO